Dicas de Educação
Dicas de Educação
6 Grandes Ideias para Incentivar Jovens Escritores
Editoria de Educação - 22 de Agosto de 2015
Autores: Alberto Silva Filho
Considere seguir as sugestões abaixo para incentivar as crianças e até despertar, ou potencializar, os dotes da escrita que existe dentro de cada uma delas...
"Nunca é demais lembrar que um futuro leitor é sempre uma cria de um antigo leitor..."
6 Grandes Ideias para Incentivar Jovens Escritores
Toda criança tem um grande potencial criativo, entretanto, esse atributo só poderá florescer se ela sentir-se livre para se expressar...
6 Grandes Ideias para Incentivar Jovens Escritores
Toda criança tem um grande potencial criativo, entretanto, esse atributo só poderá florescer se ela sentir-se livre para se expressar...

Trata-se de um dos maiores problemas dos nossos tempos, desenvolver em nossos filhos e alunos o gosto pela leitura, e especialmente a escrita.

Todo educador sabe o quanto isso é importante para o desenvolvimento mental, social e profissional de cada um, mas, encontrar uma fórmula mágica capaz de solucionar, mesmo que seja parcialmente, tal questão, tem sido uma jornada dolorosa de cada orientador que conhecemos, ao menos os verdadeiros educadores.

Mas, vale a pena o esforço. Aprender a se expressar através da escrita é uma das mais importantes qualificações cognitivas. A disciplina, organização, imaginação criativa, autoconfiança e facilidade em colocar em ordem os pensamentos, são alguns dos efeitos colaterais positivos da prática.

Longe de ser a solução para o problema, as Dicas a seguir, poderão perfeitamente servir como valorosas ferramentas auxiliares nessa tarefa.

Como pai ou educador, cada um fará as adaptações que julgar necessário na implementação de cada atividade sugerida.

Examine com cuidado cada uma das sugestões a seguir:

1. Jogo dos Poemas

Ambos, você e sua criança, deverão escrever numa folha de papel cinco palavras aleatórias que signifiquem alguma coisa para os dois. Troque de lista com ela e escreva poemas - os dois farão isso - que contenham as palavras relacionadas. Se parecer muito fácil, aumente a quantidade de palavras na lista.

Se parecer difícil, limite a seleção de palavras em um tópico, como, por exemplo, coisas do campo, da escola, alimentos favoritos, brincadeiras interressantes, passatempos, etc.

2. Passeio ao Cantinho das Memórias

Peça para que sua criança relate uma história que aconteceu com ela, iniciando com a seguinte frase: “Lembro da primeira vez em que eu fui... Isso foi...”. Uma vez que ela tenha escolhido o tema, faça com que escreva de forma ininterrupta por 3 minutos.

Informe de que não poderá ler ou conferir o que foi escrito durante esse período de tempo. Caso ela não consiga escrever mais nada durante o período estipulado, mas ainda restar algum tempo, incentive-a a iniciar uma nova memória com a mesma sentença chave.

Isso é excelente para aquecer sua mente de escritor, e o fato de poder iniciar um novo texto quando já lhe faltam argumentos para continuar o primeiro, dará a ela mais desenvoltura e liberdade para criar. Isso também resolve o dilema do escritor, que é o pavor de ficar confuso por falta de ideias, ou ter que deixar uma página em branco.

3. Se eu Fosse…

Se a criança afirma que não tem nada de interessante para escrever quando lhe for sugerido que o faça, peça para imaginar que ela está no lugar de seu personagem favorito, ou de uma personalidade famosa.

Então a oriente para que escreva uma lista de coisas que começam com a frase “Eu queria...”, cujo objetivo é descrever as coisas que ela faria, ou que gostaria de ser, e como isso mudaria sua vida atual se “aquilo fosse possível”.

Por exemplo, se ela escolhesse ser um super-herói tipo Super-Homem, poderia escrever: “Eu voaria até a escola mais rápido que o ônibus e nunca chegaria atrasado, mesmo que dormisse além da hora...”

Usando a ideia, também podemos simular uma situação onde a criança iria "incorporar" outros personagens não tão famosos, tipo pessoas comuns, como o padeiro, o carteiro, o irmão mais velho, e demais indivíduos que façam parte do nosso cotidiano.

Usando um pouco mais de estratégia, por que não criar uma situação, apresentando, por exemplo, um problema real? Poderia mesmo ser um dos dilemas humanos. Nesse caso, você a incentivaria a inventar um meio, usando qualquer tipo de recurso que sua imaginação fosse capaz de conceber, para resolver a questão em pauta. Assim, ela já estaria colocando em prática seu eventual potencial de escritor.

Mais Sugestões de Leitura

Outras Sugestões de Leitura do mesmo Tema...